Os Sempre Saltos Altos

Sapatos são lindos, sempre ótimas aquisições. Resistem a mudanças de peso e alterações no corpo – além de darem um total up numa simples produção. Mas a gente sabe que nem tudo é tão fácil e simples assim. Aliar conforto à beleza pode ser um enorme desafio já que nem mesmo os calçados sem saltos são totalmente gostosos de usar enquanto os saltos se fazem até mesmo dramáticos para mulheres que simplesmente não conseguem suportar tamanho impacto.

Descobrir o melhor modelo de calçado para seus pés requer certos testes e muita observação, analisando quais são as características do solado e da estrutura da peça que lhe deixa feliz durante todo o dia (e noite). Além disso deve-ser olhar atentamente para quais são os detalhes e os pontos que fazem com que um determinado tipo de sapato maltrate demais seus pés. Porque a gente sabe… o próprio formato de nossos pés já dita o que vai, ou não, funcionar bem para o caso – havendo ainda toda uma característica hereditária ditada por possíveis problemas que podemos ter, ou vir a ter, sem nem mesmo saber (leia-se, por exemplo, o joanete ou a tendência a calosidades).

Não dá pra negar. Saltos maltratam as mulheres e mesmo aqueles milagrosos (das grifes badaladas) causam certas dores. É preciso nascer com sorte e ser parte da parcela de 10% das mulheres que praticamente não sente dor ao usar durante horas sapatos com salto alto e bico fino. Que maravilha deve ser! Mas já que dizem que ‘a dor é nossa amiga’ a gente ignora as fincadas e finge que está satisfeita com as coisas do jeito que estão. E a gente sabe que usar salto todo dia, e toda noite, não faz bem pra coluna, né?! Todo fisioterapeuta insiste nisso e eles devem ter razão. Quem sou eu pra discordar?! Me seguro nisso para não chorar por não conseguir mais usar saltos com grande frequência.

Mas então. Sabia que fomos modelados para andar descalços?! Pois é. Acho que isso já diz muita coisa, não?! Então ter, ou querer, usar um salto altíssimo, com plataforma e bico fino é algo extremamente torturante não apenas para nossa coluna, mas também para nossa mente. E há quem diga que toda a questão do fetiche dos saltos está ligada mesmo a dor. Ui! Alguém saberia me falar mais sobre isso?! Sem deixar de lado a questão boa do efeito, positivo, que o salto impões à silhueta – bumbum vai pra trás, busto pra frente. Sexy! Tudo complementado pela sedutora forma de caminhar, cheia de rebolado. Só com salto mesmo.

E pra quem gosta de sofrer, ou nem sofre tanto assim, algumas dicas gerais para quem quer sair saltitando por ai linda, e sem dor.
  • o melhor horário para experimentar/comprar sapatos é no fim do dia, quando seus pés já estão mais inchados;
  • não se engane pensando que o calçado vai aumentar de tamanho ou alargar com o uso;
  • nunca compre sapatos sem antes andar com eles, analisando o efeito ao ficar de pé;
  • os sapatos não devem achatar os pés, mas sim abraçar – devendo haver um espaço mínimo entre os dedos;
  • o sapato não deve ficar nem justo e nem solto nos pés;
  • no caso de sandálias os dedos e o calcanhar devem ficar, sempre, dentro do solado;
  • para pés de tamanhos diferentes siga como foco o tamanho do pé maior e faça as adaptações com palmilhas aplicadas ao pé menor;
  • existem não apenas variações entre tamanhos/formas mas sim entre os calçados devido a textura e também a modelagem da peça;
  • calçados que pedem meias devem ser um pouco maior que os usados sem meia;
  • alterne sempre o uso de saltos ao de solados planos, diminuindo o impacto da peça no seu corpo.

Por fim, dizem que o salto confortável é aquele que não ultrapassa o tamanho do seu dedão do pé. É baixinho, mas já faz uma enorme diferença – são aquelas clássicos 5cm que alinham a postura e dão um charme bacana na hora do caminhar. E vale lembrar que a prática com os saltos só chega com treinamento, por isso vale usar salto alto em casa ou em lugares tranquilos apenas para acostumar com esse novo posicionamento do corpo antes de ir se aventurar em lugares onde é difícil fazer uma troca ou substituição de calçado caso você comece a querer cortar os pulsos de tanta dor sei exatamente como é isso .Mas se você é como eu, e não se liga tanto a saltos vertiginosos, mantenha-se feliz com seus solados mais planos e brinque com as inúmeras texturas e cores que o mercado oferece – sempre longe do tédio e com um pequeno saltinho só pra ajudar no rebolado.

2 Responses to “Os Sempre Saltos Altos”

  1. LI Says:

    Sandálias dentro do solado JÁ!!!! Acho a coisa mais horrorosa do mundo… acaba com qualquer visual! Mas vejo muita perua com os dedos pra fora da sandália, parecendo garras de aves. Como vc diz, medoooo!!!!

  2. Barbarella Says:

    Moro nos EUA e os sapatos que uso no inverno daqui, não cabem muito bem nos meus pés no Brasil. Eu quero dizer, confortavelmente. O calor dilata os vasos sanguíneos e deixa tudo maiorzinho, mais apertado. Já o frio tem um efeito contrário, parece que meus pés ficam menores. Mais um fator para levar em consideração na hora de comprar sapatos. Se eu soubesse disso antes, teria comprado umas sapatilhas num número maior…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: