Delírios de Consumo de Becky Bloom

A Becky Bloom poderia ser minha amiga, ou melhor… minha cliente! É o clássico tipo que eu adoraria aconselhar e ficaria centenas de dezenas de horas tentando explicar a real função da roupa. Acho bem que eu conseguiria e sim, sou convencida. Pois bem… não dá pra negar que em toda loucura há um ponto de verdade, né?! Porque eu acabei de inventar ou mudar o ditado (…) e a colega íntima, Becky, em meio a suas compulsões e exageros consegue ver o ponto ‘x’ da compra bem pensada: saber comprar e optar pela qualidade. Digo isso pelo episódio do cashmire que traduz bem o motivo da minha mania e compulsão por olhar etiquetas… Se você não sabe do que estou falando, porque ainda não viu o filme, depois vai entender.

E ai que eu chorei no filme que cabe como uma luva nessa temporada de crise e recessão. Ahf. Sou uma maria mole. Mas não me deixei levar pela empolgação sentimental e fiquei fixa nos detalhes do longa que, como já era previsto, exagera mesmo no figurino (by Field, ehe)e peca por pequena falta de ritmo entre as cenas (na minha humilde opinião). As peças e composições extremamente coloridas são parte da concepção do personagem (que é meio louca né gente…) e fazem toda a diferença; não dá pra imaginar a Rebecca vestida de outra forma. E ela não veio ao mundo pra ser uma referência, néam… O toque dos manequins vivos, dialogando com a compradora, são um bapho a parte porque pega bem a essência dessa função da vitrine de atrair e seduzir você, ou eu, que só estamos passando ali atoa, por mera rotina. 


Mas o que aprender com os delírios da querida Becky (super fofa)?!

  • Manter o foco
  • Não se deixar levar por liquidações
  • Nunca largar compromissos apenas para se entregar às compras (as roupas do mundo não vão acabar)
  • Observar etiquetas e composições das peças
  • Criar metas de compras (listinhas) 
  • Praticar o desapego (the best) 
Delírios de Consumo de Becky Bloom (Confessions of a Shopaholic) surge como mais um clássico para as mulheres que ancoram seus receios, seus medos e seus desejos mais secretos em filmes que, quase sempre, nos consolam e nos dão ânimo para buscar nossos tão estranhos ideais. 

4 Responses to “Delírios de Consumo de Becky Bloom”

  1. paula vieira Says:

    Adorei o “o que aprender” do filme?
    Fui lendo e fazendo meu check list mental.
    1- foco: nem sempre, eu consigo, mas me esforço cada dia mais e tenho progredido.
    2- liquidaçoes: dificilmente compro, nao por falta de vontade, mas as numeraçoes menores acabam logo, entao diminui a minha chance de encontrar algo do meu tamanho (se for sapato, praticamente impossivel!).
    3- “as roupas do mundo nao vao acabar”: tenho praticado esse mantra e tentando nao comprar uma peça a primeira vista: vejo, pesquiso preço e outras opçoes, vou para casa, penso como posso usar aquela peça e entao no outro dia, vou lá e compro (ou nao!). É dificil fazer isso (para mim), mas tenho tentando e conseguido, pelo menos com peças mais cara! ebaaa!!🙂
    4- etiquetas e composições: nao sei identificar o que seria melhor, help me!🙂 rsrs
    5- listinhas: faço para quase tudo na vida e ajuda bastante no item 1 (foco).
    6- desapego: para mim, o item mais facil de ser colocado em pratica, nao que eu seja uma pessoa sem apegos, mas com roupa/sapato/bolsa, consigo manter um certo distanciamento e analisar friamente que eu NAO usarei mais aquela peça. Eu dou um prazo de validade para as minhas coisas, quando vejo que passei muito tempo sem usar uma peça e que ela nao reflete mais os meus gostos ou ncessidades, passo a diante sem problemas. Evito aquele pensamento: “pode ser que um dia, eu use.” No meu caso, pouco provavel, se passei tanto tempo sem usar, entao posso viver muito bem sem ela.
    Bjs
    Adorei o post! Louca para ver o filme.
    Paula

  2. rosi benini Says:

    li os livros e tb to louca pra ver o filme! gostei da listinha de `o que aprender`… acho que o FOCO ja diz tudo😉

  3. Nine Says:

    Amanda… amanhã é o dia!!!
    Vou assistir ao filme!! Uhuuu

    Pelo que andam contando, e pela tua análise, vou amar e também aprender algumas lições, heheheh!!!

    Beijooo

  4. Marina Victor Says:

    Eu amei o filme! As cores, as marcas, as dividas é tão atual.
    como diz o ditado “enquanto a visa há vida”.
    dica de economista: ninguem precisa de mais de 2 cartões com bandeiras diferentes. Se a operadora te deu esse limite é porque provavelmente se estora-lo vai ficar em ma situação. Imagina isso multiplicado por 5, 6 ou 12 cartoes.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: