Xadrez é Xadrez

Xadrez é xadrez, a gente sabe. O que muita gente não sabe é que nem todo xadrez é igual. Entre o príncipe-de-gales, o tartan, o vicky ou o pied-de-coq existem pequenas mas marcantes diferenças que influenciam fortemente a forma de usar e combinar as peças estampadas por tais formar de xadrez. 

Mas qual é qual?! O que diferencia o escocês do pied-de-coq?! Porque a gente sabe o que é xadrez… sabemos que pode estar em estampas ou na trama do tecido, incorporado de distintas maneiras ao ato do vestir. São quadrados que alternam cores, listras que misturam e combinam espessuras. Tudo bem até ai.  

Pela Enciclopédia da Moda o tecido xadrez foi criado por proprietários de terras na Escócia, durante o século XIX, como alternativa para outros tecidos considerados inadequado ao uso diário ou ao trabalho; foi adaptado de tecidos locais, baseando-se em padrões e cores do tartan; possuía forte apelo comemorativo. Durante o século XX o xadrez foi, a princício, usado em ternos e casacos masculinos, ficando logo popular entre as mulheres em costumes, mantôs, vestidos, saias e, na década de 60, calças. Hoje, é o que é.

Indo aos diferenciais podemos distinguir um xadrez do outro, sem maiores complicações

O pied-de-coq (pé-de-galo), também conhecido como pied-de-poule (pé-de-galinha), é caracterizado por formas próximas a quadrados ligados com forte efeito geométrico; sua referência mais clássica é a do preto e branco, imortalizado por Chanel. A diferença entre o coq e o poule fica por conta do tamanho da padronagem que imita mesmo um pé-de-galinha ou galo… sendo que uma é maior que é a outra. 

O xadrez príncipe-de-gales é representado por linhas com formas irregulares, alternando tonalidades de uma mesma cor e espessuras que se abraçam num efeito de interseção. Há ainda o xadrez escocês que se aproxima muito ao antes citado mas sua característica mais forte é a reunião de várias cores em distintas tonalidades – vale lembrar que muita gente nomeia esse padrão como tartan… e falaremos dele mais tarde.

O xadrez burberry possui como inspiração a referência à grife inglesa Burberry que cristalizou tal estampa sendo que o padrão reúne linhas em bege, branco, preto e vermelho combinadas de forma regular – seguindo as linhas do Escoês. 

Já o xadrez vichy ou gighan é aquele que lembra toalhas de piquenique, com forte toque retrô; sua característica principal está na simplicidade das duas linhas em cores iguais, mas tons diferentes, que se cruzam gerando um efeito harmônico.

Outro é o argilê que, feito de losangos com listras que os transpassam, desenha uma forma colorida complementada por linhas finas traçadas.

Por fim devemos lembrar o xadrez tartan, que possui vida  e história própria. Padrões diferentes e cores distintas são reunidas, em listras coloridas que se cruzam formando efeitos de larguras variadas. Em sua história o tartan era utilizado para identificar diferentes clãs da Escócia. 
Usar o xadrez é muito simples e fácil, basta se sentir bem com a estampa que geralmente chama muita atenção. Lembre-se de aplicar padrões menores nas regiões maiores de seu corpo, e os padrões mais marcantes nas regiões que você quer aumentar ou valorizar; fundos escuros disfarçam excessos, já os claros acrescentam volume; observe a recorrência de linhas verticais ou horizontais e use isso a seu favor. O xadrez nos acessórios é uma boa ferramenta para quem quer se sentir na moda, sem perder sua identidade… mas como a imagem dessa estampa é muito marcante as peças (todas) devem ser de qualidade pois é algo que grita por olhares, sendo fácil falhar por tecidos ruins ou costuras mal feitas. Deixo ainda a dica de cuidar muito para não ficar com uma imagem caricata, lembrando toalha de mesa ou garota colegial. Pro inverno, o xadrez continuará forte, feliz e contente. Use e abuse. Eu gostei tanto dessa história que já até achei na Amazon um livrinho que conta tudo sobre o xadrez… vou pedir, ler, aprender e depois conto tudo aqui.

4 Responses to “Xadrez é Xadrez”

  1. paula vieira Says:

    Amanda, adorei o post!
    Por muito tempo, eu relutei (continuo um pouco ainda, para dizer a verdade!) em comprar qualquer peça em xadrez, pois na minha cabeça sempre lembra as roupas usadas no periodo de festas juninas, muito comum no Nordeste (onde moro), entao morria de medo de ficar parecendo fantasiada. O pessoal aqui associa muito a isso, coisa de regionalismo mesmo. Mas resolvi arriscar e comprei 2 vestidinhos, levinhos (ja que nao faz frio) e xadrezes (um do tipo pied de coq preto e branco e outro escoces com padronagem bem clarinha – adorei aprender sobre os diferentes tipos). Achei lindos, ainda nao usei pq estao para ajustar, mas estou ansiosa, pq será minha ousadia maxima até agora! hehehehehehehe. O post está excelente, serviu para me dar mais coragem e conhecimento para explicar o tipo de xadrez que estou usando. rsrs😉
    De vez em quando é bom ampliar os horizontes, testar coisas diferentes e ousar, pq nao, nao é?!
    Bjs
    Paula

  2. Marina Says:

    Não sabia desses detalhes. Todos estão na moda? Posso usar qualquer um desses xadrezes?

  3. Marina Victor Says:

    Xadrez faz parte das coisas que quero comprar para o inverno, viu amanda. Trate de me ajudar…..
    Acho que combina demais comigo, sera?

  4. rosi benini Says:

    Que post ótimo! Não sabia de todas essas diferenças…🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: